Menu:


Ao Vivo

Links Úteis

Nossa Audiência


Estatísticas:

Total de visitas: 298930
Visitas hoje: 77


Família descreve a tortura sofrida na mão de bandidos em São José

Três dos quatro bandidos já foram pegos pela polícia


RádioQuando chegou em casa depois do trabalho na véspera do feriado, às 20h, um comerciante, morador do Bairro Bela Vista, em São José, encontrou os quatro filhos, de seis meses, dois anos, oito e 11, a mulher e a sogra e soube que tinha feijão para o jantar. Mas o conforto do lar foi logo desfeito por quatro assaltantes, que invadiram o local, todos armados. Eles pularam o muro e mantiveram as vítimas apavoradas durante 1h30min na casa. O microempresário teve de tirar a roupa e toda a família passou a ser ameaçada.

O bebê de seis meses, que havia sido batizado no dia anterior, foi amarrado junto da mãe e trancado no banheiro com o pai, a avó e o irmão que completa dois anos nesta quinta-feira.

Os outros filhos do casal, um menino de oito anos e uma menina de 11, foram obrigados a ficar junto com os assaltantes, enquanto eles vasculhavam o interior da casa e escolhiam o que queriam. De acordo com a menina eles eram agressivos, mas não chegaram a bater nela e no irmão:

– Eles pisaram no pé do meu irmão e me ameaçaram, mas não chegaram a encostar em mim. Eu fiquei com muito medo, porque tive que ajudá-los e eles apontaram a arma. Só pensei na minha família, em podermos estar em segurança novamente.

Segundo relato do pai de família, eles levaram o carro, uma moto, roupas e tênis, inclusive das crianças, relógios, notebook, computador, forno elétrico, micro-ondas, máquina digital, óculos escuros, e R$ 1,4 mil que seriam o valor do aluguel do comércio da família.

Um pai em desespero

"Eles queriam colocar uma fita na boca do nosso bebê, porque ele estava assustado e não parava de chorar. Minha sogra que conseguiu convencê-los a desistir desta ideia. O outro menino, de dois anos, também foi agredido com a arma na cabeça, mas não se machucou. Mas o meu maior desespero eram os outros dois, que não ficaram conosco no banheiro. Os ladrões ameaçaram fazer de tudo, me matar, abusar da minha menina, e cogitaram a hipótese de cortar o meu dedo para poder tirar a aliança. Eles jantaram, tomaram um monte de whisky que eu tinha em casa, porque já tive bar, e até dançavam na sala. E eu trancado no banheiro sem poder ver meus filhos. O maior alívio foi quando finalmente ouvi o barulho do carro e da moto deixando a casa."

Presos almoçando

Três suspeitos foram presos pela Polícia Militar na terça-feira, reconhecidos pelas vítimas. Dois deles irmãos, Thiago Castanheiro, 20 anos, e Felipe Castanheiro, 21. O terceiro, também natural de São José, e com várias passagens pela polícia, é Felipe Hoefling, 20.

Os integrantes da quadrilha foram localizados num restaurante, onde foram almoçar com o carro do comerciante, um Audi A3, no Bairro Real Parque, em São José. O quarto assaltante, que seria o mais violento, segundo o depoimento da vítima à Polícia Civil, teria fugido na tarde de ontem. Na quitinete onde ele vivia, no Bairro Potecas, os agentes recuperaram fornos, e outros pertences das vítimas.

A proprietária do apartamento, que seria namorada de um dos suspeitos, também foi presa. A equipe da 2ª Delegacia de Polícia de São José segue na investigação do caso.

HORA DE SANTA CATARINA.


Ver todas as notícias